domingo, 20 de julho de 2014

E a festa continua

Uma semana após a conquista do tetracampeonato da Copa do Mundo pela Alemanha, Mercedes e Nico Rosberg continuaram a festa alemã no esporte com uma vitória enfática, onde o domínio de Nico foi tão grande, que ele mau apareceu na transmissão da TV, já que o Grande Prêmio da Alemanha foi cheio de ultrapassagens, disputas e imagens espetaculares, como capotagens e carro pegando fogo. O pódio foi completado por dois carros equipados com motores Mercedes, com Lewis Hamilton não conseguindo completar sua espetacular corrida de recuperação, tendo que se conformar com a terceira colocação, após disputa com Valtteri Bottas, um dos bons nomes dessa temporada 2014. Para desespero de Felipe Massa...

A corrida começou com uma das imagens do final de semana com a espetacular capotagem de Felipe Massa na primeira curva, após toque com Kevin Magnussen. Como o próprio brasileiro afirmou, a imagem foi mais forte do que o acidente e Massa saiu do carro ileso, mas seus aparentes cabelos brancos devem aumentar cada vez mais com sua atua fase. O fato de ser superado constantemente pelo seu jovem companheiro de equipe Valtteri Bottas só não é pior pela extrema falta de sorte de Massa em 2014, com acidentes e incidentes acontecendo em praticamente todas as corridas do brasileiro num ano em que a Williams é a segunda equipe do pelotão. Com o time precisando de dinheiro provindo dos prêmios do Mundial de Construtores, esses pontos desperdiçados por Massa, muitos nem culpa dele, como os de hoje, num acidente tipicamente de corrida, prejudicam bastante a Williams, que mesmo ultrapassando a Ferrari (outra que marca pontos somente com um piloto...) no Mundial de Construtores, fica cada vez mais distante da Red Bull na briga pela segunda posição, lugar que deveria ser da Williams se não fossem os azares de Massa. Enquanto isso, Bottas faz corridas sóbrias como a de hoje e é elogiado a plenos pulmões pelos engenheiros da Williams após a corrida pelo rádio. A grande verdade é que hoje Valtteri Bottas está fazendo o que de Massa era esperado, andando rápido, fazendo corridas inteligentes e marcando pontos importantes.

Uma corrida tão sólida como a de Bottas fez Nico Rosberg. Sem problemas na largada ou na relargada, Rosberg marcou um punhado de voltas mais rápidas no início da prova, meio que deixando claro quem é que mandava em Hockenhein hoje e conseguiu sua vitória mais fácil do ano, pois Nico administrou a maior parte das sessenta e sete voltas do Grande Prêmio da Alemanha e abriu novamente no campeonato. Hamilton fez a corrida que dele se esperava, principalmente com o carro que tem. Lewis ultrapassou quem via pela frente, deu alguns toques, é verdade, pois a paciência não é o forte do inglês, mas não prejudicou seriamente sua corrida de recuperação, onde chegou colado em Bottas e após largar em vigésimo, terminar em terceiro não deixa de ser um resultado a se comemorar. Porém, a cara de Hamilton no pódio não mostrava isso. O mal de ter uma equipe tão dominante numa temporada é que os pilotos não parecem se divertir tanto se houvessem mais rivais à atura. Hamilton sabe que Rosberg escapou novamente no campeonato e tirar catorze pontos de desvantagem sobre um piloto tão técnico e com tanta confiança será muito difícil para o inglês. Tanto que Bernie Ecclestone já aposta em Nico para vencer o campeonato.

A Red Bull tentou uma estratégia de três paradas para seus dois pilotos, mas isso acabou afetando a luta de Vettel pelo pódio, com o alemão tendo que se conformar com um distante quarto lugar, tendo que brigar novamente com Alonso, desta vez sem mimimi. Ricciardo foi um dos prejudicados do acidente da primeira curva, tendo que fazer uma manobra evasiva para evitar os carros de Massa e Magnussen, caindo para as últimas posições e brigar muito para chegar em sexto. Principalmente com Alonso nas últimas voltas, na melhor disputa desta corrida. O espanhol fez outra corrida de superação, tendo que se reinventar durante a corrida para conseguir um algo mais, mas fazendo o mesmo que a Red Bull, Alonso saiu definitivamente da luta pelo pódio e o quinto lugar, com Ricciardo colado, foi o melhor que Fernando pôde fazer. Porém, isso é bem melhor do que Raikkonen vem fazendo, já antecipado como 'Figurão' de amanhã. O finlandês foi contratado para colocar mais pressão em Alonso, cada vez mais animadinho para procurar outra equipe e conseguir o sonhado tricampeonato, mas Kimi vem decepcionando deveras em sua volta à Ferrari e já tendo soltado que não continuará na F1 após o fim do seu contrato, a Ferrari já deve estar pensando em fazer o mesmo de 2009 e dispensar o finlandês antes do contrato para encerrar, novamente, melancolicamente essa passagem de Raikkonen pela Ferrari, pois Kimi é bem mais lento que Alonso tanto em treinos, como em corridas e parece de saco cheio de estar na Ferrari.

Ofuscado pelo seu jovem companheiro de equipe nos treinos, Jenson Button fez outra corrida correta pela McLaren e amealhou mais alguns pontos para o time, o problema foi que mesmo tendo que sair das últimas posições devido ao toque com Massa na primeira curva, Magnussen fez boa prova de recuperação e chegou apenas uma posição atrás de Button. O inglês já foi cobrado por Ron Dennis e aos poucos vê sua batata assar dentro da McLaren. Button parece ser muito querido dentro da McLaren, mas fica cada vez mais forte a sensação que seu tempo já passou na F1, além do fato da morte do seu pai pode ter lhe afetado decididamente. E falo isso com propriedade. Nico Hulkenberg continua sua impressionante sequencia de marcar pontos de forma consecutiva na F1 e o alemão conseguiu mais alguns pontos para a Force India, que ainda viu Sergio Pérez fechar, discretamente, a zona de pontuação. A Sauber e a Lotus continuam em suas temporadas muito ruins, com cada uma perdendo um piloto, sendo que o abandono de Adrian Sutil poderia ter trazido um safety-car já no final da prova e mudado dramaticamente a corrida, mas a organização do Grande Prêmio não trouxe, estranhamente, o carro de segurança para resgatar o carro de Sutil em um local muito perigoso. Kvyat teve uma corrida agitada, com um toque com Pérez no início e protagonizou a segunda cena espetacular do dia quando seu Toro Rosso pegou fogo no final da grande reta. Vergne, assim como as equipe nanicas, pouco apareceram.

Enquanto isso, Nico Rosberg caminha a passos largos rumo ao seu primeiro título com uma pilotagem sólida, sem ser espetacular, mas trabalhando forte com seus engenheiros. Hamilton está novamente por baixo na disputa do campeonato e com metade do campeonato já tendo passado, o inglês começa a se incomodar com o desempenho do seu companheiro de equipe, enquanto a Mercedes já começa a fazer as contas de quando será campeã do Mundial de Construtores.

Um comentário:

Vinicius disse...

E pausa pra uma notícia triste: Pete Aron nos deixou,justamente no fim de semana da F1...

http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2014/07/morre-aos-86-anos-o-ator-americano-james-garner.html