segunda-feira, 4 de junho de 2007

Baixinha abusada!


Em Milwakee, Tony Kanaan mostrou como a sorte de um homem pode mudar apenas em uma semana. Depois de perder as 500 Milhas de Indianápolis por motivos alheios, Kanaan necessitou do azar dos outros para vencer no tradicional circuito de um milha de Wisconsin. Kanaan estava com um carro rápido na corrida de ontem, mas não resta dúvidas de que Hélio Castroneves foi o vencedor moral da corrida de ontem. O piloto da Penske largou na pole, liderou o maior número de voltas e dominava a corrida do jeito que ele queria. Porém...

Se há uma equipe americana com condições de ingressar na F1, essa é a Penske. Os famosos carros vermelhos e brancos tem em Roger Penske um chefe de mão firme e que não permite erros. E isso já vem de muito tempo! Porém, uma asa traseira quebrar no meio de uma reta é totalmente inacreditável até mesmo para uma Dreyer & Reinbold, imagine então para a Penske! Faltando menos de 25 milhas, Hélio se estatelou no muro após sua asa traseira quebrar bem no suporte. Hélio teve sorte em bater de uma forma menos nociva e o carro até que não ficou muito destruído, mas a imagem da equipe Penske ficou decisivamente arranhada. E se desgraça pouca fosse bobagem, Sam Hornish Jr. perdeu a segunda posição nas voltas finais pelo mesmo motivo, mas o americano teve muito mais sorte e pôde levar seu Penske aos boxes e diminuir o estrago. Foi algo tão vergonhoso, que até agora ninguém da Penske, nem mesmo o Helinho, que é parte interessada, falou nada.

Kanaan não tinha como os problemas da Penske e liderou um final de corrida cheio de bandeiras amarelas e como Hornish ficou pelo caminho, Kanaan não teve a mínima dificuldade para conseguir a segunda vitória dele no ano. Franchitti mostrou que sua fase atual é muito boa e terminou em segundo, assumindo a liderança do campeonato na frente dos regulares carros da Chip Ganassi, que não vêm repetindo as atuações anteriores.

E falando em Chip Ganassi, o melhor momento da corrida envolveu um dos seus pilotos. Quem lê esse blog sabe que não acho a Danica Patrick a melhor piloto do mundo. Longe disso. Mas suas regalias fizeram com que ela se tornasse uma menininha mimada e que não aceita seus erros, jogandos as burradas que faz nas pistas em cima dos outros. Em Milwakee, a moça vinha fazendo uma bela corrida e mesmo largando na última fila, já brigava no pelotão da frente antes da metade da corrida. Ela se aproximou para ultrapassar Franchitti e quando completou a manobra, tentou ainda ganhar a posição do Dan Wheldon que estava bem à frente dela. O toque foi inevitável e Danica foi acabou rodando, mas não batendo em nada. A culpa foi totalmente da Danica, pois o Wheldon fez a linha normal de corrida dele e ela bateu na roda traseira esquerda dela, vindo por dentro depois de ultrapassar Franchitti.

A garota tem tanta mordomia na IRL que sem motivo algum (ela não bateu em nada e nem sujou a pista) a bandeira amarela apareceu. Motivos? Nenhum! Ela havia quebrado o braço de direção e foi aos boxes efetuar a troca. Enquanto a troca era realizada, a bandeira amarela não terminava, mas a neutralização só foi acabar quando o reparo no carro da Andretti-Green terminou e a Danica voltou à pista. Proteção a toda prova não? Depois da corrida, o pessoal da ESPN foi entrevistar a Danica e ela chamou o Wheldon de "desastrado", "louco" e que "nunca iria esquecer disso". Após o "carão", o pessoal foi perguntar ao Wheldon sobre o incidente e o piloto da Chip Ganassi foi inteligente: "Ela está sobre muita pressão, pois não ganha nenhuma corrida." Wheldon está completamente certo! Danica é a pior piloto da equipe Andretti-Green, não fez nada na IRL e ainda assim é estrela. Tanto é assim, quando Danica e Wheldon se encontraram a garota quase deu no inglês! Num mundo tão feminista como o de hoje, será que ser protegida só por que é mulher e bonita é sinal de respeito? Ou machismo?

Um comentário:

camiseta disse...

Ola! Muito interessante seu espaço.... gostei!
Compartilhando aqui...
Parabéns camiseta